23 de dez de 2008

10 Discos de 2008: 7) Adele - 19


2008 foi um ano em que escutei ótimos trabalhos de cantoras - britânicas. Matutando assim, rapidamente, vem-me à cabeça vários nomes. Gostei muito dos discos de estréia da Duffy e da Laura Marling, por exemplo. Mas se eu tivesse que escolher um para entrar aqui, nessa nobre lista, não poderia deixar de fora a Adele.

O som dela não segue as fórmulas que Amy Winehouse, Lily Allen ou até mesmo Joss Stone estabeleceram há alguns anos e serviram de modelo para vários clones. Inspirada por Ella Fitzgerald e Etta James, Adele é uma grande jazz singer, de voz deliciosa, daquelas que nem precisam de acompanhamento musical.

19, o seu primeiro disco (o título faz referência a sua idade), é uma jóia. Não há uma, eu disse UMA, faixa ruim! Daydreamer, que abre o disco, já logo diz de cara porque Adele merece a audição. Com apenas um violão sendo dedilhado ao fundo, ela atinge notas incríveis e mostra ter uma dicção perfeita. A próxima, Best for Last, segue a mesma toada, mas agora só se ouve um contra-baixo. Chasing Pavements é o hit do álbum, uma das 5 melhores do ano, e é o tipo de música que Mariah Carey morreria para ter em algum de seus discos. Cold Shoulder, outro single de sucesso, tem batida rápida e uma orquestra de cordas poderosa. Right As Rain parece uma bossa-nova meio Los Hermanos (isso é bom!). Hometown Glory é uma balada grandiosa, que fecha com brilho o disco.

O CD é meio fossa, parece trilha do Dawson's Creek. As letras são pessoais e falam, em sua maioria, sobre um amor que foi embora. A própria Adele diz que seu estilo é "heartbreak soul". Por isso não é um som que agrada a galera facilmente. 19 não tem uma Rehab ou uma Mercy, e isso é bom dizer. 19 é um disco de momento, para se ouvir sozinho (a dois nem a pau!).

Já o ouvi pegando uma estrada e recomendo a experiência fácil, fácil.

Nenhum comentário: