27 de nov de 2008

No Estadinhon

A verdadeira escola do rock

Os primos Lucas Tasso, de 13 anos, Carolina Matteuzzi, também de 13, e Júlia Matteuzzi, de 10, já sabem tocar instrumentos musicais. O primeiro, bateria e guitarra. Carol, piano. Já sua irmã caçula, teclado. Apesar de tudo conspirar a favor, eles não são uma banda. Quer dizer, quase. Eles até chegam a ensaiar juntos aos finais de semana... Mas é no videogame!

É assim: Júlia pega a guitarra de plástico, Lucas assume a bateria de mentirinha e Carolina empunha o microfone. Logo em seguida eles estão "tocando" a música Dani California, do Red Hot Chili Peppers, no jogo musical Rock Band. Rock Band é um game bem divertido. Ele não tem joystick, mas uma guitarra de plástico, uma bateria e um microfone. Ele não tem fases, mas disputas musicais, em que o jogador deverá tentar tocar várias músicas rock e pop bem famosas. Quanto mais craque você estiver, mais difícil o jogo pode ficar.

Rock Band é cria de Guitar Hero, outro game musical que virou febre. Os dois funcionam de maneira parecida (GH só tinha a guitarra) e além de serem muito divertidos e um baita entretenimento, estão ensinando um novo jeito de se ouvir e consumir música. E, ainda mais importante, estimulando a criançada a aprender a tocar um instrumento musical. "A procura aumentou muito graças aos jogos. Os alunos que entram por causa dos games querem tocar na guitarra de verdade a mesma música que sabem tocar na de brinquedo", explica Mônica Lima, diretora da Escola de Música e Tecnologia (EMT).

Nessa escola, há até uma sala exclusiva para os alunos jogarem Guitar Hero e Rock Band. "Isso ajudou muito algumas crianças que não se dedicavam aos estudos. Hoje elas se interessam muito mais por música. E esses games desenvolvem muito o ritmo e ninguém toca um instrumento se não tiver isso", diz Mônica. O trio de músicos mirins concorda. "Eu fiquei bem melhor e me dedico mais à música", admite Júlia. "Agora quero tocar bateria também", completa sua irmã Carolina. Já Lucas usa os games para atrair novos músicos. "Um dos meus melhores amigos agora faz aulas de guitarra comigo", sorri.

Músicos mirins testam Wii Music

O Nintendo Wii lança em dezembro Wii Music, o primeiro jogo musical que usa todo o potencial de seu divertido joystick, o Wiimote. Diferentemente de Guitar Hero e Rock Band, todos os instrumentos de Wii Music se concentram em um único controle. E são mais de 60: violão, baixo, bateria, guitarra, trompete, violino, saxofone, castanhola, piano, harpa... Para usar tudo isso é preciso empunhar o Wiimote, como se realmente estivesse tocando algo. E não é preciso seguir as notas para tocar. Pode-se (e deve-se) improvisar muito.

Como o Estadinho não é egoista, convidamos, para jogar o Wii Music, três alunos da escola de música Souza Lima. Victoria Cristina da Silva Eduardo, de 9 anos, Samuel Nunes Marques dos Santos, de 8, e Rafael Pescuma Rodrigues da Silva, de 7. No começo, cada um escolheu o instrumento que sabe tocar. Victoria pegou o piano e Samuel, a bateria. Já o flautista Rafael preferiu o violão. Tocaram Brilha Brilha Estrelinha várias vezes. "É bem legal, vai ajudar outras crianças a querer aprender música", comentou Victoria. "Dá para tocar vários ritmos, é viciante", concordou Rafael, todo suado.

Já Samuel aprontou uma para os seus pais. "Quanto custa? Quero de Natal".

Você vai virar fã do Kiss

Além de estimularem o aprendizado de um instrumento, os games musicais são uma verdadeira escola do rock'n'roll. Muitas das canções deles são clássicos roqueiros, cheios de riffs de guitarra e viradas de bateria. Isso não existe mais! Nunca que o Paramore ou o NX Zero farão um poderoso solo de guitarra de cinco minutos!

Então é bem comum, para quem brinca com esses games, virar fã de grupos "do tempo dos nossos pais". Lucas curtiu o Metallica após tocar a pedreira One, do Guitar Hero 3. "Para o professor de música é muito legal. As crianças antes não queriam mais aprender a tocar os clássicos do rock", explica Mônica Lima, da Escola de Música e Tecnologia.

Bandas ganham jogos exclusivos

Quando o primeiro Guitar Hero foi lançado, lá em 2005, para o videogame PlayStation 2, ele foi uma revolução. Todo mundo queria experimentar o game, que com um joystick no formato de guitarra permitia a qualquer pessoa virar uma estrela do rock. Afinal, era só apertar alguns botões para "tocar" I Wanna Be Sedated, do Ramones. As bandas ficaram atentas a esse sucesso e começaram a oferecer suas músicas originais para os jogos. Antes, os criadores do Guitar Hero as regravavam, como covers.Outra aposta foi a de vender canções bônus na internet. Os fãs, claro, adoraram! Assim, os músicos acharam um caminho bem legal para ganhar um dinheirinho extra, numa época em que já não se vende tanto CD porque muitos preferem baixar música de graça na web.

A nova moda é ganhar um game musical exclusivo. Nesse ano, o grupo Aerosmith, que surgiu lááá em 1970, ganhou um Guitar Hero com vários hits da banda, como Walk This Way. Mas é no ano que vem que virá o jogo pelo qual todos estão babando. Desenvolvido pelos criadores de Rock Band, 2009 promete um game musical dos Beatles! Imagine tocar Help no videogame? Nem o seu avô vai resistir!

E vem mais novidades por aí

Má notícia para os pais: neste Natal, dois novos jogos musicais disputam vaga na lista de presentes do Papai Noel. O primeiro é Guitar Hero World Tour. Assim como Rock Band, o jogo agora também tem microfone e bateria.Aliás, a bateria dele é show, pois tem dois timbaus, os pratos (de mentira, lógico!). Outro destaque é que agora dá para criar suas próprias músicas. Imagina só montar uma banda com seus amigos, sendo que ninguém toca um instrumento musical?! O jogo será lançado para o Wii, PlayStation 2 e 3 e Xbox 360.

Falando no Xbox 360, o console vai lançar Lips, seu game de karaokê. Ele pode ser conectado ao iPod, então vai dar para soltar o gogó no game em todas as músicas que você tiver no seu MP3 player. De babar!

*Fotos: SERGIO NEVES/AE e JONNE RORIZ/AE

Nenhum comentário: