13 de ago de 2005

Na mesma praça...

Coisa melhor do que ler no banheiro não há. Aliás, já falei sobre esse assunto por aqui, pois adoro ler ou folhear qualquer coisa enquanto estou sentado no trono. O Luis Fernando Veríssimo é outro fã assumido. Certa vez, ele disse que lê até bula de remédio. Confesso que não chego a tanto.

Mas, deixo cá uma dica: um ótimo magazine para aquele momento é a Seleções, também conhecida por Reader's Digest. Assim, o conteúdo literário não é grande coisa, mas ela é um ótimo passatempo. Vira-e-mexe sai alguma matéria legal, ou um caso de algum senhor americano que teve câncer nos testículos, no reto e nos pulmões, teve a filha morta atropelada e a tartaruga comida pelo cachorro, mas mesmo assim não desistiu da vida. A cada edição há uma história assim.

O pior mesmo é a seção das piadas. Uma mais velha que a outra. São do naipe assim: "O que o tijolo disse para a lajota? Há um ciumento entre nós!". Broxante, certo? Errado, eu choro de rir com isso. Outro dia, estava eu no toalete, lendo as piadas e cascando o bico. Minha avó, assustada, perguntou-me depois qual o motivo de tamanha graça.

Não resisti:

- Vó, sabe como você faz para levar um chokito?
- Não, como?
- Basta enfiar o dedito na tomadita!!

Nenhum comentário: