27 de fev de 2004

Peixe Grande


Rapaz, que filme lindo! Que fotografia, que história! Bem, como fã declarado de Tim Burton, fica difícil não elogiar algum trabalho seu. Quando ele resolve emocionar a platéia, sai de baixo! São imagens enredadas com momentos tocantes, onde de fundo é possível ouvir uma linda melodia, que aumenta um pouquinho de volume conforme o grau de emoção retratada na cena. Muitos choram, e não deviam ter vergonha. Que atire a primeira pedra que não derramou uma simples lágrima na cena final de Edward – Mãos de Tesoura? Lembram? Começa a cair uma leve neve, um lindo coral de fundo musical, e a personagem de Winona Ryder abre os braços e rodopia sem sair do lugar, sentindo a neve cair lentamente em sua face. São poucas pessoas que conseguem transmitir sentimento para uma tela, para um simples objeto. Tim Burton tem esse dom.

Assistam ao filme, e vejam a beleza das imagens, das fabulosas histórias de Edward Bloom, do sentimento que toma conta de seu filho na cena final. Às vezes, a realidade é tão monótona, que a fantasia ganha forma e vida. E nada é tão gostoso como fantasiar, contar histórias que emocionam, que jamais envelhecem.

Lembrei de meu avô em algumas cenas. Ele tinha um pouco de Edward Bloom (Ewan McGregor). Fiquei triste, alegre e tocado. Podem me chamar de maricas, ou qualquer coisa parecida. Eu prefiro a fantasia à realidade. Gosto de lembrar daqueles que fizeram parte de minha vida. Gosto de sonhar e fantasiar. Gosto de sumir - nem que seja através de algumas palavras.

Nenhum comentário: