16 de mai de 2010

Thalita Rebouças ganha quadro de futebol na Globo e gibi em ‘Luluzinha’

 A escritora Thalita Rebouças, autora da popular série de livros “Fala sério”, foi convidada neste mês para escrever o roteiro da edição de maio do gibi “Luluzinha teen e sua turma”, versão adolescente da personagem criada por Marjorie Henderson Buell em 1932.

“Aprendi a gostar de ler graças aos gibis do ‘Fantasma’, da ‘Turma da Mônica’, ‘Tio Patinhas e até mesmo ‘Asterix’”, explica a autora, que vendeu 500 mil livros lançados no país de acordo com sua editora, a Rocco.

Thalita já tinha ganhado uma versão animada de si mesmo em dezembro, em uma edição da mesma revista. Dessa vez, ela preferiu assinar a história que, segundo a escritora, tem como tema a amizade. Nela, Luluzinha é nomeada representante de sua escola para um congresso estudantil. Lá ela conhecerá novos paqueras, para desespero de Bolinha - agora magro e apaixonado por Lulu.

O gibi tem conteúdo exclusivo para a internet, como tirinhas e vídeos que interagem com o conteúdo impresso.

Que cena!
Além do gibi, Thalita tem outras duas novidades para esta semana. Agora mesmo está em Portugal para o lançamento de seu 5ª livro por lá, cuja série “Fala sério” ganhou o curioso nome de “Que cena”. Mas ela garante que só o título é diferente.

 “Adolescente é tudo a mesma coisa, só muda de endereço. Mas uma diferença que senti lá é que os jovens portugueses respeitam muito mais os professores. É uma autoridade intacta que, infelizmente, se perdeu por aqui”, comenta.

No domingo (9), ela também estreia um novo quadro no “Esporte espetacular”, o “EE de bolsa”. O programete surgiu na internet e traz Thalita tentando de entender as regras do futebol.

“Já sei quantos jogadores o técnico convoca para a Copa do Mundo e aprendi o que é tiro de meta. Mas o impedimento ainda é um grande segredo”, brinca.

Em novembro, a escritora irá lançar o seu primeiro livro com um protagonista masculino. Ainda sem título, a obra irá mostrar a relação entre garotos e garotas de 12 anos em um colégio. Ela diz não temer uma certa rejeição dos meninos ao trabalho, afinal, Thalita é conhecida como autora de “livros de menininha”.

“Existe um certo preconceito porque a capa dos meus livros é rosa, mas tem muito menino que os lê escondido, sabia? Menina não tem esse preconceito, lê de tudo. O Ziraldo que me disso isso e é verdade”, diz. “Aliás, por que menina pode ler ‘Menino Maluquinho’ e menino não pode me ler?”, reclama, com bom humor.


* Matéria publicada no G1 em 7/5/2010

Nenhum comentário: