15 de mai de 2010

Estrelas de séries antigas são trunfo da inédita ‘Parenthood’


 “Parenthood” é uma série que já começou dramática antes mesmo de ser lançada. Programado para estrear em setembro passado, o show teve sua première adiada por diversas vezes em razão de problemas de saúde no elenco e na produção.

Em maio de 2009, uma das principais produtoras do seriado morreu em pleno set. Dois meses depois, a atriz principal Maura Tierney (“ER”) foi diagnosticada com câncer de mama e precisou sair da atração em novembro.

Com esses impasses, a série só conseguiu estrear em março nos EUA. Nesta quinta-feira (15), às 21h, ela chega ao Brasil – a partir da semana que vem seu horário muda para às 22h, como todos os lançamentos do canal Liv (antigo People + Arts).

Turma de peso

“Parenthood” é baseado no filme “O tiro que não saiu pela culatra”, de 1989, dirigido por Ron Howard e com Steve Martin no elenco. A série é um drama sobre os Braverman, que têm no patriarca Zeek (Craig T. Nelson, de ‘The district”) a referência da família.

Laura Graham, a eterna Lorelai de “Gilmore girls”, dá a vida a Sarah, uma mãe solteira de dois adolescentes rebeldes e filhos de um roqueiro drogado. Com a separação, e sem condições financeiras, ela se refugia na casa dos pais, na cidade em que cresceu e viveu o primeiro amor.

Seu irmão, Adam (Peter Krause, de “Dirty sexy money” e “A sete palmos”), é casado com Kristina (Monica Potter, de “Boston legal”). Os dois aparentam viver um perfeito “american way of life”, mas lutam para educar seus dois filhos – o caçula é autista - sem a influência do pais.

 Julia (Erika Christensen) e Crosby (Dax Shepard) fecham a lista. Ela é uma advogada workaholic, cuja filha prefere a companhia do pai nos momentos de lazer. Ele é um rapaz imaturo, pressionado pela namorada que deseja um filho, mas que logo descobre ser pai de uma criança de um antigo relacionamento.

Prepare o seu lenço
O episódio piloto de “Parenthood” faz uma breve introdução de cada um (vários) dos personagens. Apesar de ser uma produção dramática, dedicada a esmiuçar a vida de cada membro da família Braverman, a série tem lá suas doses de comédia.

Dentre os diversos núcleos que existem dentro da trama, destaca-se o de Sarah. Laura Graham surpreende para quem entrou no lugar de Maura Tierney aos 45 minutos do 2º tempo, o que a levou a refazer diversas cenas que já tinham sido gravadas.

A construção da personagem, aliás, assemelha-se bastante a Lorelai. Sua Sarah possui um certo tom cômico que talvez não existiria na de Maura.

“Parenthood” é série para quem gosta de dramas familiares repletos de momentos de conflitos entre pais e filhos à la “Brothers & sisters”. Mas, aparentemente, sem as diversas tragédias que assolam a família Walker.

* Matéria publicada no G1 em 15/4/2010