17 de abr de 2010

Chloe: 24 horas

 "Mary Lynn twitta o tempo todo. E sempre vem com umas conversas do tipo: ‘Posso tirar uma foto de nossas mãos para pôr no meu Twitter?’" Dita às gargalhadas pela atriz Katee Sackhoff (a Starbuck, de Battlestar Galactica), a frase dá o tom do que poderia ser a entrevista, dali a 10 minutos, com Mary Lynn Rajskub, colega de Katee no elenco de 24 Horas (Fox, 23h, toda terça-feira – a série foi oficialmente cancelada na sexta passada).

A atriz, que há nove anos dá vida à geek Chloe O’Brian, não chega a ter o conhecimento hi-tech da analista de sistemas que nunca sai da frente do computador a fim de ajudar Jack Bauer – seja dentro da CTU, de uma van em movimento ou de um quarto de hotel.

"Não sou nada ligada em tecnologia. Eu twitto, e é só. Isso é bastante técnico, certo?", ri a atriz, cuja personagem é uma figura tão icônica no universo digital que até serviu de inspiração para o batismo de um software de segurança do governo americano que protege aeronaves de terroristas: o Project Chloe.

Geek 2.0. 
Mary Lynn realmente não é uma nerd vintage como Chloe, que faz a linha antissocial "eu nunca tiro a cara do micro". Ela é uma geek 2.0, que não liga para o hardware poderoso do celular, mas para a sua capacidade de comunicação. Que o diga seu perfil no Twitter, @rajskub.

Ao contrário das celebridades de Hollywood, que passam o tempo no microblog digitando "o que estão fazendo" – para desespero de empresários e assessores que ganham a vida controlando as palavras de estrelas milionárias do showbusiness – Mary Lynn usa os 140 caracteres para conversar com fãs, falar dos bastidores da série e, olha só, contar piadas. Uma faceta que pouca lembra a de Chloe.

"Eu gosto muito mais do Twitter do que do Facebook. É simplesmente mais fácil, tudo rola em tempo real", justifica ela, que aparece com frequência naquelas listas de "Top 10 famosos para se seguir no Twitter". "Eu sempre estou, né? Mas não entendo como nunca ganho mais seguidores com esse tipo de matéria. É até meio vergonhoso", brinca.

A noite dos 140 tweets.
Recentemente, Mary Lynn participou do evento beneficente A Night of 140 Tweets, em que 140 celebridades narraram seus microposts para a gravação de um DVD, cujo dinheiro das vendas será destinado aos sobreviventes do terremoto no Haiti.

"Estava pensando nessa manhã que ninguém está nem aí para o que você faz da sua vida. Então eu comecei a mentir no Twiter", provoca, depois que perguntei se Katee admitia pagar alguém para atualizar seu perfil.

"Eu ficava escrevendo ‘oh, estou com meu bebê agora’ ou ‘agora estou alimentando o nenê’. E percebi que isso é chato. Se eu disser que estou com a Rachel McAdams (atriz do filme Sherlock Holmes) minha vida fica mais excitante! Então em vez de escrever apenas ‘no parque, com o cachorro’, agora eu acrescento ‘com a Rachel McAdams’ no final", ri.

Mary Lynn pode preferir o Twitter, mas não menospreza o Facebook. E visita com frequência uma comunidade sobre a ela ali dentro. Outro hobby é sacar seu celular e tirar retratos de seu cotidiano. Parece narcisimo, mas a relação de proximidade com o público é ótima para o trabalho de Mary Lynn fora de 24 Horas – como a divulgação de seus shows stand-up, cujas piadas ela testa antes no Twitter.

"Antes de 24 Horas eu só fazia comédia; agora parece que só faço drama. Acho que as pessoas me veem muito como a Chloe, então passei a me revelar cada vez mais. Contar histórias pessoais é onde começa todo o meu processo de criação", explica.

O melhor exemplo é sua websérie Mary Lynn Is Having a Baby, em que brinca com as situações que, durante a gravidez, contava, em tom de deboche, no Twitter. "É a coisa mais pessoal que já fiz na vida. É divertido, porque, quanto mais velha eu fico, mais me sinto segura em contar histórias. E descobri que esse é o tipo de coisa que gosto de fazer".

* Matéria publicada no Estadão