24 de dez de 2009

Filmadora de bolso da Kodak grava vídeos em alta definição

Febre ao redor do mundo há alguns anos, as filmadoras de bolso começam a chegar a Brasil neste Natal. Pequenas e gordinhas, com potencial para gravarem em alta definição, elas são uma ótima dica para essa geração que já troca as fotos digitais pelos vídeos online. Por aqui, a maior representante dessa turma ainda não chegou - a Flip. Mas uma de suas principais concorrentes já está à venda: a Zx1 da Kodak.

O Virgula recebeu uma para testes e saiu por aí com ela na mão. Confira o resultado logo abaixo.

A Zx1 chama a atenção logo pela aparência. Seu corpo é todo emborrachado, o que a protege contra chuva e areia, por exemplo. Uma ótima ideia. Ela também é bastante leve (100 gramas) e um bocado robusta. Cabe na mão facilmente, mas no bolso faz um certo volume. Em sua lateral há uma entrada para cartões de memória SD, S-Vídeo e HDMI (cabos inclusos). A lente da câmera fica na parte de trás e, infelizmente, não tem uma capinha de proteção. Em alguns minutos de uso ela já ficou suja.

O gadget funciona com pilhas AAA recarregáveis (o carregador vem junto) e tem quatro modos disponíveis de filmagem: VGA, HD, HD 30 e HD 60 (esses números fazem referência aos frames por segundo), com zoom digital de 2x. Ela também fotografa em 3 megapixels. A Zx1 tem apenas 128 MB de memória interna. Não dá para fazer quase nada com isso - 1 minuto de vídeo no modo VGA, e meros 30 segundos em qualquer opção em HD. Justamente por isso, ela suporta cartões de memória de até 32 GB. É uma pena que a filmadora da Kodak não tenha uma memória interna maior, como a Flip, que tem modelos com 8GB, por exemplo.

APONTE E FILME

Para usá-la é bem simples: é só ligar, apontar e filmar. Para escolher o modo, basta apertar nas setas laterais que ficam ao lado da microtelinha (um dos pontos negativos da câmera). Até aí é fácil. O problema está na hora de acessar o menu: é muito difícil. Os botões disponíveis no painel não são nada intuitivos e muito menos têm algum símbolo que identifiquem o seu uso. Após muitos erros chega-se a descobrir como ver galerias, apagar as pastas e etc. Mas esse é um fator bem desagradável em um aparelho que tem, justamente como grande aliado, a praticidade.







Em ambientes muito iluminados, ou com pouca luz, a Zx1 se saiu muito bem mesmo no modo VGA, de resolução inferior. Em ambientes escuros o seu uso é nulo. A diferença da qualidade de imagens produzidas nela, em relação ao HD, chegam a ser quase imperceptíveis em telas menores. O que não acontece ao ver as gravações em tela cheia - daí sim o HD faz toda a diferença.

Filmar em alta definição exige vários cuidados. Para começar, o jeito como se segura a filmadora. Fique com ela firme e evite movimentá-la. Caso contrário, a gravação fica horrível, com imagens tremidas. Pega-se o jeito rapidinho e o resultado é muito legal. De noite a filmagem não fica lá grande coisa, mas o resultado não é decepcionante, muito pelo contrário. Também surprendeu a qualidade do áudio - no vídeo abaixo, feito no 13º andar de um prédio, é possível ouvir pessoas conversando na rua e os pássaros cantando nas árvores da calçada.

O grande lance da Zx1 é que ela tem um software de edição que sobe os vídeos automaticamente para o YouTube ou Vimeo. É muito prático e funciona direitinho. O programa, inclusive, diminui o tamanho do arquivo, o que torna ainda mais rápido o seu upload.

Na análise final, a Zx1 é um ótimo gadget. Peca pela tela muito pequena, pela falta de uma memória interna mais robusta e pelo menu sofrível. Mas ganha pontos pela sua ótima qualidade de imagem e pela praticidade de subir o material para portais de vídeo como o YouTube. Ela está disponível em três cores, preta, vermelha e pink. Um impasse é o seu preço oficial: R$ 699 - mas ela pode ser encontrada promocionalmente por R$ 499, ou seja, pesquisa bastante.

* Matéria publicada no Virgula



Nenhum comentário: