19 de abr de 2008

'Meu blog é uma loja de conveniência 24 horas'

A primeira pessoa a aparecer aqui no “Entrevista de Sábado” é a multimídia Rosana Hermann, apresentadora do programa Atualíssima e blogueira do Querido Leitor.

Fiz essa rápida entrevista para a matéria sobre 10 anos de blogs em português. Infelizmente eu acabei não utilizando nenhuma frase dela. Não que tenha saído nada de interessante de sua boca ­­– ao contrário: foi pura falta de espaço mesmo.

Como você avalia esses 10 anos de blogs em português? Não fale apenas os aspectos positivos, mas os negativos também, né?

A primeira grande mudança foi a percepção dos blogs pelo público em geral. De diários narcisistas de anônimos desinteressantes, os blogs passaram a ser percebidos como fontes de informação, referência e opinião de cidadãos de todos os pontos do mundo. A segunda mudança foi a dos blogs em si. De relatos corriqueiros da vida de cada indivíduos eles passaram a oferecer opções variadas como resenhas culturais e de tecnologia, jornalismo cidadão, informações e visões pessoais de jornais online e jornalistas em geral. Numa terceira etapa, os blogs passaram a ser vistos também como uma ferramenta de comunicação e relacionamento de pessoas jurídicas com o público consumidor e como meio de divulgação de produtos e serviços.

Para você, quais são as peculiaridades da blogosfera brasileira?

O Brasil tem fome de expressão. O brasileiro tem sede de opinião. Acho a blogosfera brasileira intensa, competitiva, com os traços bons e ruins da personalidade dita verde e amarela, ou seja, com temperos bons e ruins como genialidade, maldade, esperteza, oportunismo, crueldade, maledicência e inteligência, tudo ao mesmo tempo. A blogosfera brasileira é, enfim, o verdadeiro "caldeirão cultural" da vida nacional. Aliás, "blog" parece onomatopéia de uma batata caindo num caldo grosso na panela. Blog.

O que você espera do Querido Leitor? Qual é o papel dele?

Meu blog tem sido ao longo dos anos um espaço estável de relacionamento e informação, uma espécie de mesa redonda permanente de assuntos do cotidiano comum. Quando vejo esses programas longos que discutem futebol sem parar, penso que o blog é mais ou menos assim. Sempre tem assuntos novos, sempre tem comentaristas, sempre tem leitores passando. Nunca entrei no meu próprio blog sem encontrar alguém lá. Para quem procura novidades o Querido Leitor funciona como uma espécie de "loja de conveniência": está aberto 24 horas e, embora não tenha toda a variedade de prateleiras como um hipermercado, sempre tem um pouco de cada coisa. Dá pra matar a fome de relacionamento e a sede de informação, com satisfação.

*Foto: Paulo Pinto/AE

Nenhum comentário: