7 de jan de 2008

Eu sou fã do SBT!!!!

Desde que comecei a trabalhar no jornalismo, tive a oportunidade de conhecer e conversar com pessoas cujo trabalho sempre admirei. Já conversei sobre cinema com o Carlos Saldanha, de Seinfeld com Rafinha Bastos, de videoclipes com Jarbas Agnelli, de bandas japonesas com a Fernanda Takai, de quadrinhos com o Maurício Ricardo e até de cachorros com a Luisa Mell (essa não entra na lista de admiráveis, mas enfim).

Confesso que poucas vezes fiquei nervoso ao falar com alguém famoso ou me senti emocionado por trocar umas palavras com algum ídolo. Nem quando assisti a um treino do São Paulo, com os jogadores ao meu lado. Mas, na última quinta-feira, foi difícil separar um pouco o lado "Gustavo repórter" do "Gustavo viciado em TV". O motivo? Fui conhecer o SBT.

Foi duro. Imagina você entrar em um lugar com uma van lotada de garotas do Fantasia? Imaginou? Bem, isso aconteceu comigo. Um monte de meninas saradinhas, com blusinhas, cabelos lisos e fofocando alto. Foi surreal! O mais maluco de tudo é que elas andam em bandos. Enquanto um grupo de 10 está almoçando, outras 10 estão no banheiro. Imagino elas lá dentro, brincando de "passa o papel higiênico".

Depois, você entra no estacionamento e vê um Passat alemão azul, com o insufilm todo descascado. "Nossa, que podre!", pensei. Daí você chega perto do automóvel e vê que ele está parado em uma vaga com uma estrela gigante no chão com os dizeres "SILVIO SANTOS". Do lado direito dele, a vaga destinada a Hebe Camargo, do esquerdo, para Gugu Liberato.

Logo em seguida, ao passar por uma porta você tromba com ninguém menos que o Roque. Baixinho, de camisa aberta, exibindo uma corrente de prata reluzente, com um pingente de ouro gigante, de algum santo aí. Ele me cumprimenta. Eu gaguejo. "O... Oi! Você é o Roqueee, digo, Roque!". Ele sorri, pergunta se eu quero tomar algo. Nem me dou conta que logo em seguida ele conversa comigo, brincando que está puto com o Silvio, que ele conhece há mais de 40 anos, porque o Homem do Baú falou que ele não está em seu testamento.

Jorge Kajuru, ao meu lado, ri. Minutos depois, ele começa a falar mal do Ricardo Teixeira e da CBF. No caminho até o restaurante, Patrícia Abravanel, a filha nº4 do seu Silvio, passa com pressa, ao lado de um segurança. Uma baita mulher emperiquitada, pouco lembra aquela menina de moletom vermelho seqüestrada há alguns anos.

Mais chamativa está Mariana Küpfer. Vestido justíssimo, todo branco, que termina logo abaixo de seus quadris. Um "abajur de buceta", como diria José Simão. Magra demais, morena demais, cabelo à la Victoria Beckham. Desliga o celular e entra em uma Palio Weekend com o logo da reportagem. Mariana Kupfer indo fazer uma reportagem? Só no SBT.

E só no SBT mesmo para você fazer o caminho de volta dividindo o carro com o Josias do Qual é a Música?. Mais: com ele cantarolando durante todo o trajeto!!!

Saí do Complexo da Anhangüera sem acreditar. Só faltou eu ver o Silvio, mas nem imagino como iria reagir. Provavelmente ele diria. "Gustavooonn, qual é a sua profissão? Jornalista? Ah, então você trabalha com notícias? Isso quer dizer que você faz reportagens? Hi-hi, de que caravana você veio?".

Inesquecível.

Nenhum comentário: