8 de dez de 2007

Eu não entendo...

Quando eu assisti há um mês o ótimo show de stand-up Comedia em Pé, no Rio, no final da apresentação rolou uma brincadeira entre os comediantes. Foi um lance de improviso, meio Whose Line Is It Anyway. Cada um dos humoristas devia dizer algo que começasse assim: “Eu não entendo...”

Se eu estivesse no palco naquele dia, eu diria: “Eu não entendo as capas da revista Caras”.

Não, não estou falando de bizarrices do tipo Cid Moreira na banheira, mas dessa onda freqüente de fazer montagens que desafiam as leis da fotografia.

Assim: há algumas semanas, chamou-me à atenção a capa de Caras sobre o Grammy Latino. Ela mostrava, em primeiro plano, a cantora Ivete Sangalo com seu novo namorado bósnio, ou coisa do tipo. No meio de tanto artistas e shows, isso foi o que a magazine resolveu pinçar de melhor do evento musical.

Porém, estava na cara que a foto do casal foi tirada na entrada do evento, provavelmente no tapete vermelho, com aquele manjado biombo (sei lá o nome) atrás, que mostra o logo de todos os patrocinadores da festa. Colocar uma imagem assim na capa não dá, não é?

Mas aí, descobre-se que quem também se destacou no evento foi a Daniela Mercury, que se cantou ao vivo. Não tem nenhuma foto dela com a Ivete? Ora, dá-se um jeito. Pega-se uma imagem da Daniela cantando no palco e a deixa de fundo, colocando em primeiro plano a foto de Ivete com seu macho. A idéia é que o casal posou enquanto assistia a apresentação de Daniela. Pescaram?

Mas agora vamos falar um pouquinho de ótica: como que uma foto dessas saiu com foco bom no fundo e na frente? O certo seria a cantora baiana (Daniela, não Ivete), estar desfocada, já que a cantora baiana (Ivete, não Daniela) e seu namorado ucraniano ou coisa do tipo eram o objeto em foco. É um fotógrafo ninja ou não é?

Acho que só eu fiquei impressionado com essa montagem, já que a edição desta semana se utiliza da mesma trucagem: agora, uns cinco artistas estão no lugar que seria de Ivete, e Sting toma a posição de Daniela. Essa foto é ainda mais grotesca.

Veja abaixo como é a feita essa barbárie do design:




Você escolhe duas imagens que não têm nada a ver uma com a outra. Depois você pega as duas e cria a idéia de que elas foram feitas ao mesmo tempo




Pronto! Nasce uma capa bizonha!

OBS: Reparam que na foto original dos artistas há seis pessoas? Bem, como uma delas não é famosa, ela foi limada da foto que saiu na capa. O problema é que esse penetra estava abraçando a última mulher, vejam só. Daí, o jeito foi arrancar o braço do cara e inverter a imagem daTotia Meireles. Coisa fina. Lenin, o pai da trucagem, ficaria orgulhoso.

Nenhum comentário: