8 de out de 2007

Gustavo, pede pra sair

Ontem eu vi Tropa de Elite. No cinema, pela primeira vez. Paguei R$ 9 pela meia-entrada e o filme demorou nada menos que 30 minutos para começar a ser exibido.

Explico: no bilhete estava escrito que o horário do filme era às 21h30. O telão realmente já estava ligado nesse horário, mas aí, entre uma animação gigantesca do Cinemark ensinando como jogar pipoca no lixo, dez milhões de filmes publicitários e somente dois trailers, o filme, o filme mesmo, só começou às 22 horas!!!

Poxa, é dose. Se eu quero ver um filme numa tela bacana, com um som caprichado, eu tenho de desembolsar quase 10 conto para ficar morfando meia-hora na poltrona até o longa começar. Pelo mesmo valor eu podia comprar um DVD no camelô e ver o filme em minha casa, sem ter de ficar vendo publicidade por 30 minutos. Ah, na versão “alternativa” também não aparece aquela famosa lista completa dos patrocinadores que fazem questão de darem o ar de sua graça antes de um filme nacional começar. Em Tropa de Elite, e eu contei isso, foram dois minutos de Petrobrás, Claro, Prefeitura da Cidade do Rio, e por aí vai.

Alguém no cinema até gritou um "porra" nesse momento.

Quando o DVD surgiu, lá nos anos 90, um barato é que não tinha trailler. Você enfiava o disco no aparelho, aparecia aquela mensagem padrão de “atenção” e logo se caia no menu. Hoje, os trailers invadiram os DVDs e, pior, não tem como você fugir deles. Você tenta correr, mudar o capítulo, entrar no menu... Não funciona. Aí toma Pousada do Sandi e aquele comercial com montagem de videoclipe que te “ensina” que comprar um DVD pirata é a mesma coisa que colar na escola.

Vale a pena passar por tudo isso apenas para ver um filme original?

OBS: O melhor blog de todos os tempos da última semana é o www.capitaonascimento.wordpress.com. Foi lá que eu fiz esse teste acima, que mostra que eu sou o Capitão Nascimento. Vão lá e façam o teste também, seus fanfarrões!

Nenhum comentário: