14 de set de 2005

Dorminhocos, graças a Deus


Ah, que frio! Não está mais dando para agüentar; dá vontade de dormir o dia inteiro, trancafiado no quarto, enrolado num bolo de cobertas. Só deixar a cabecinha para fora, ficar de rabicho bisbilhotando o que está passando nos inúmeros programas de culinária vespertinos.

Felizardos aqueles que não trabalham. Que fazem o esquema predileto dos dorminhocos de plantão: dormir de madrugada para acordar cedo, que é para dormir na aula, que é para reclamar da vida, que é para dormir no ônibus, que é para chegar em casa, almoçar, ir até o armário e pegar o travesseiro e edredom de estimação, correr até o sofá, ligar a televisão em um volume bem baixinho e passar horas e mais horas roncando. Quem, da faixa dos 12 aos 18 anos, que se orgulhava de não precisar trabalhar e não fez esse esquema, será uma pessoa rancorosa para o resto da vida.

Há vários tipos dos apreciadores de uma soneca. Deixo cá uma lista dessa patota. Vejam em qual categoria vocês se encaixam.

1) Saudável: Trabalha ou faz inúmeras atividades à tarde, como ter aulas de outros idiomas ou praticar algum esporte. Estagia entre seis e oito horas por dia, é querido por todos da empresa. Dorme durante o Jornal Hoje e acorda no início do Vídeo Show, antes de começar aquele quadro da Angélica. Dorme entre seis e oitos horas por dia e, pasmen, está sempre disposto. É feliz. Consegue conciliar trabalho com faculdade e mesmo assim tira notas altas.

2) Esquecido: Se trabalha, dá canseira na chefia toda semana. Estudou o colégio inteiro no período da manhã, e acabou pegando o costume de tirar uma sesta de uma hora. Tenta ser como o Saudável, mas dorme a meia-noite porque ficou acompanhando a reprise do seriado predileto que passa, na verdade, às oito horas, mas como ele trabalha esse horário, fica impossível de acompanhá-lo regularmente. Estagia entre quatro horas e seis horas por dia. Dorme durante o Jornal Hoje e acorda durante o Vídeo Game, da Angélica, com taquicardia e pressa por estar atrasado. Tem inveja do Folgado.

3) Folgado: Já estagiou e até consegue trabalhar. Quando procura ofertas de trabalho, sempre tenta dar um jeito de entrar no trampo as duas ou três horas da tarde. Seu estágio provavelmente tem carga horária "variável", pois daí ele pode entrar e sair a hora que quiser na empresa, sem ter a necessidade de bater cartão. Sai meia hora mais cedo da faculdade e pede para o colega ao lado assinar sua presença. Almoça correndo e cronometradamente à primeira palavra do Evaristo Costa, fecha os olhos e dorme... Até começar a tocar a introdução do Vale A Pena Ver de Novo. Dorme durante o Jornal da Noite, e sente falta da voz entediante da Ana Paula Padrão. Está sempre bocejando por onde passa. Tira sarro do Saudável, e queria a voltar a ser Vagabundo.

4) Vagabundo: Prefere fazer freelancer, porque é um bico que dá um dinheiro legal para ele poder comprar as suas necessidades vitais: livros e Cds. Dorme bem tarde, na terceira entrevista do Jô, mas prefere esperar até mais tarde para assistir ao David Letterman, que é bem melhor. Dá risada com a Sue Johanson, enquanto fica no Orkut (nesse horário não trava!) ou na Internet vendo sacanagem. Dorme durante o Vídeo Show e acorda no final da Sessão da Tarde - quando não no começo da Malhação. Vive com insônia à noite, já que dorme demais à tarde. Chega atrasado na aula e, matematicamente, tem anotado em sua agenda quantas faltas tem com cada professor, para não correr risco de estourar o limite e pegar dependência. Adora as quartas-feiras porque é dia de futebol na tevê, daí pode ficar de madrugada assistindo aos comentários daqueles programas esportivos chatíssimos, que ele adora. Quando conseguir um trabalho, vai lamentar por ter que se tornar um Folgado.

Nenhum comentário: