2 de jul de 2005

O mais legal do esporte bretão


Estava observando com muita festa essa discussão sobre qual será o estádio a ser usado pelo tal do Atlético Paranaense contra o meu glorioso tricolor paulista. Rá, se ferraram! Constroem o estádio mais bacanudo da América Latina, mas o deixam com uma capacidade ridícula. Vão ter que jogar no Rio Grande do Sul, tadinhos. Avante, São Paulo!

Aliás, o que eu mais adoro no futebol é essa rivalidade. Divertidíssimo essa história do presidente do Coritiba se negar a ceder o estádio para o rival praticar a sua peleja, alegando que o campo do Coxa ainda está em reformas e não pode acomodar um jogo de tamanha importância. Ok, caro presidente. Sua desculpa foi fenomenal (aposto que o senhor está se deliciando pelo fato de ver os atleticanos se esborracharem lá no sul porque a cidade de Curitiba não tem um estádio maior). Sacanagem, caro dirigente!

O Atlético, por curiosidade, tem um "buraco" em seu estádio. Assim: ele não está completo até hoje, falta um pedaço para finalizar a arquibancada. Isso graças ao dono do terreno da discórdia, o "buraco", que não deixa nem que se passe por cima do seu cadáver que os atleticanos ampliem o espaço para a torcida. O terreno, um escola infantil, é de um fanático torcedor do Coritiba. Já viram o porquê do tio não liberar aquele pedaço de terra.

Nos anos 80, a Coca-Cola patrocinava grande parte dos clubes tupiniquins. Quando a empresa de refrigerantes fechou a parceria com o Grêmio, os dirigentes do time gaúcho se recusaram a estampar no uniforme gremista o logo da Coca-Cola nas cores vermelho e branco. Qual o motivo? O Internacional, arqui-rival do Grêmio, possui tais cores. A solução foi pôr nas camisetas de jogo o Coca-Cola estampado em preto e branco.

Mais legal ainda é na Turquia. Em Istambul, o Galatasaray, junto do Besiktas, são os principais times de futebol da capital do país. O Galatasaray, que já teve vários brasileiros, tem as cores vermelho e amarelo como símbolo. Já o Besiktas, preto e branco. Tá e o que tem isso? Acontece que o McDonald's me abre uma filial ao lado do estádio do Besiktas. Daí houve protestos por todas as partes dos fãs do clube, que não queriam um restaurante daqueles perto do campo do time de seus corações.

Nossa! , pensa o leitor. Como os turcos são anti-americanos, né? Politizados, nacionalistas. Nada a ver, eles não queriam um McDonald's por lá porque as suas cores são justamente as mesmas do Galatasaray. Adivinhem qual foi a solução? Não construir, certo? Errado.

Aquele "M" gigante e todo o resto do restaurante estão nas cores branco e preto.
*Fonte: Loucos por Futebol

Nenhum comentário: