17 de jan de 2010

Com visual oldschool, Milestone é o melhor Android já lançado


Deixamos para o final do ano o teste daquele que é considerado, justamente, o melhor celular de 2009 - na verdade, a revista Time o declarou o melhor gadget, ou seja, o supra-sumo dos aparelhos eletrônicos. Estamos falando do Motorola Droid, que no Brasil foi batizado de Milestone. Lançado no País há algumas semanas, o telefone é o primeiro do mundo a vir com o sistema operacional Android 2.0, do Google.


O primeiro destaque do Milestone é o seu visual. Ao contrário da concorrência, que aposta em bordas arredondadas, materiais recicláveis e acabamentos em black piano, o smartphone da Motorola é da velha-guarda: todo preto, com detalhes dourados e até emborrachado na parte traseira - além de ser grande, quadradão e pesado (165 gramas). Mas não se deixe levar pela sua aparência: ele tem uma tela sensível ao toque enorme, de 3,7 polegadas, com um teclado físico QWERTY abaixo dela - curiosamente, mesmo assim o aparelho é apenas 1mm mais fino que o iPhone 3Gs. Ele também possui conexões Wi-Fi e 3G, além de GPS, cartão de memória de 8GB e processador de 550MHz. Tem entrada para fone de ouvidos de 3,5mm e sua câmera é de 5 megapixels, com flash.


Assim como o Samsung Galaxy e o próprio Motorola Dext, o Milestone se integra facilmente a redes sociais, como o Twitter - apesar de não ter o MotoBlur, um programa da Motorola que dá acesso rápido a esse tipo de site. Isso deixou suas janelas mais sóbrias e menos caóticas, mas também mais intuitivas. Para quem usa bastante o Gmail e o Facebook, a ferramenta de importação de contatos desses dois serviços é bem interessante. Ela pega os dados de seus amigos nesses sites e os exporta para a agenda do celular.


PRO JOVEM E PRO TIOZÃO
Porém, o Milestone vai além do público jovem e conectado e se mostra também um ótimo aparelho para o uso corporativo. Ele pode ser integrado com o Microsoft Exchange, algo ótimo para quem quiser sincronizar o e-mail e a agenda da empresa, características importantes e cruciais de um bom smartphone. Nos testes, o Milestone se mostrou o melhor celular com Android já lançado. Para começar, a sua rapidez é impressionante. As páginas abrem facilmente, assim como o acelerômetro não engasga na hora de trocar a posição do celular. A navegação é bastante agradável, e nisso a tela ajuda demais, pois ela, além de ser enorme, tem uma excelente resolução de 854 x 480 pixel. Fora que o navegador acessa a páginas em HTML 5 e com Flash.

O teclado é macio, apesar das teclas serem muito próximas uma das outras (o espaço podia ser melhor aproveitado). Uma pena que elas também não tenham um relevo. O cursor colocado ali ajuda a quem não quiser ficar apenas no touch screen da tela, o que é bastante útil.

O celular vem com uma dock station, que o transforma em uma central de mídia digital, para visualizar fotos e ter acesso à músicas e vídeos. Para quem gostou desse plus, não usar o programa Phone Portal é um desperdício. O software conecta o smartphone ao desktop via rede Wi-Fi, o que permite editar contatos, selecionar ringtones, fazer backup, enfim, fazer todo tipo de serviço sem a necessidade de um cabo USB. Fora que o computador vira um grande monitor do Milestone - bem bacana para quem deseja exibir imagens e filmetes armazenados dentro dele.

APLICATIVOS NA FAIXA
A área de aplicativos do Android Market ainda não chega aos pés da App Store, mas é bastante generosa. Por ter a versão 2.0 do Android, o Milestone acessa qualquer tipo de aplicativo - são mais de 20 mil. O melhor que é que tudo de graça.

O GPS se mostrou muito rápido nos testes. Para aqueles que forem comprar o celular, vale dizer que se ganha um acesso gratuito por 60 dias ao MotoNav, um software de navegação que o transforma em GPS automotivo. Ao expirar a data, será preciso - para aqueles que quiserem, lógico - pagar por uma licença de um ano. Por todos esses atrativos, o telefone da Motorola consome muita bateria, o que exige o seu carregador sempre por perto.

O Milestone, ao combinar um hardware poderoso com as facilidades do Android 2.0, de fato é o melhor smartphone já lançado com o sistema operacional do Google. Ele pode não ter todos aqueles chamarizes sociais (e visuais) dos concorrentes, mas é, de fato, um competente computador de bolso. O melhor é que ele não tem um preço tão abusivo. Ele também está sendo lançado pela Tim, e sua versão desbloqueada custa R$ 1.999. Mas, na Vivo, ele sai por R$ 599 em um plano de 200 minutos, com 500 MB de dados. Em planos de 100 minutos, com 50MB de dados, seu preço salta para aproximadamente R$ 800. Vale pesquisar.

* Matéria publicada no Virgula

Nenhum comentário: