28 de jun de 2008

Casual, graças a Deus (digo, Miyamoto)


Comprei um Wii. Não deu para resistir. Eu achava que não estava mais no perfil de jogador casual, e pretendia seriamente em adquirir um Xbox 360 para me esbaldar chutando demônios (crédito: Jô Auricchio) em games de alta definição, com som 5.1 e o escambau.

Mas eu fiquei mais de um mês com o console da Nintendo em casa. Emprestado. Todo mundo já falou sobre isso, mas você ver seus pais quebrando o maior pau numa partida de tênis no Wii Sports (eu só tinha visto tal cena em partidas de caxeta, na praia) ou seu tio deixando um recado em cima da mesa do jantar com os seguintes dizeres...

- Gu. Novas pistas (do Mario Kart) abertas, ainda mais impossíveis e insanas

Cara, não dá para não ter esse videogame. De boa, isso daí não tem preço.

Nenhum comentário: