18 de mai de 2008

Um banquinho...

Teve uma época em minha vida em que eu, no auge da minha paixão pelo Napster (amor este muito breve, graças ao Lars Ulrich), passava à madrugada inteira baixando versões acústicas de músicas que eu adorava. Sim, músicas, não álbuns inteiros – vamos lembrar que no começo do século 21 o que pegava era internet discada, e o download de uma mísera canção demorava 30 minutos. Por aí.

Há algumas semanas eu estava fuçando no armário de meu quarto, em Sorocaba, e achei uma pilha de CDs temáticos que eu fazia nessa época. Sim, CDS - não existia iPod. Um, em especial, me fez tirar o pó de meu antigo aparelho de som. É um "Acoustic", com versões desplugadas para cantigas do Coldplay (pois é!), Creed (pois é!!), Radiohead, Vertical Horizon, Nine Days, Matchbox 20, etc.

Foi bacana. Sei lá o motivo porque parei de escutar esse lance de um banquinho, um violão. Talvez porque hoje não baixo uma música de fulano ou sicrano – mas o seu CD inteiro, o que cada vez mais me faz perder o tesão pelo lance do single. Talvez porque a MTV não faz um acústico decente há anos.

Enfim, estou escrevendo esse post para avisar que queimei a língua, e achei no blog Omissão Impossível um (ótimo) acústico do Editors. São sete faixas dos dois (ótimos) álbuns do grupo inglês.

É só violões e voz. Não há bateria, baixo (acho), orquestra, coral ou metais. Bem simplão. Toda a beleza – e tristeza – das músicas se apóia na voz melancólica de Tom Smith e nos acordes de Russel Letch. O resultado é tão bom quanto o original.

Baixem ou escutem o álbum inteiro por streaming aqui.

Nenhum comentário: