5 de mai de 2008

Joga bola

Em 1995 ou 96, não lembro exatamente, meu primo Luciano resolveu usar o seu apartamento para que toda a família se reunisse lá para comemorar o Natal. Ele, que tinha acabado de voltar da Europa, havia gravado em uma fita VHS um programa gringo que exibia os melhores comerciais do mundo.

Lembro de um, em especial, que me marcou demais: era feito pela Nike com as estrelas de futebol da época: Paolo Maldini, capitão da Itália, Eric Cantona, do Manchester United, Ronaldo (que na época era magrinho e gostava de mulher), Tomas Brolin, astro da Suécia, Luis Figo - então no Barcelona -, entre outros.

A publicidade foi gravada no Coliseu de Roma, numa batalha entre os boleiros e um time do inferno, com monstros e coisas do tipo. Era do ca-ce-te! Uma baita produção hollywoodiana, que acabou por inaugurar aquela maldita tendência publicitária que tomou conta de todos os fabricantes esportivos do mundo: chama-se uns atletas fodões, eles exibem suas habilidades em frente à câmera, cria-se depois efeitos especiais e se escolhe uma canção moderninha e pronto!

Tipo, ficou batidaço ver o Ronaldinho Gaúcho ou o Denílson só jogarem bola MESMO na fila do aeroporto ou num navio cargueiro.

Mas a Nike calou a minha boca com o seu novo comercial, cujo mote é o lema "The Next Level". Dirigido por Guy Ritchie, durante quase exatos dois minutos o vídeo mostra a ascensão de um futebolista, desde um time pequeno até chegar num clube profissional (Arsenal) e ter de ralar muito para chegar à seleção holandesa.

O bacana do filmete é que ele põe o espectador na pele do jogador – tem-se a visão dele, como um game em primeira pessoa. A edição é ligeira e meio "epilética" e a música, como costuma acontecer com esse tipo de comercial, é ótima. Também vale destacar que ele foge do lugar comum de ser um picadeiro para qualquer perna-de-pau pôr a bola atrás do pescoço.

Mas o destaque mesmo são os pequenos detalhes presentes no filme. Só quem manja um bocado de futebol vai sacar que (quase) todo mundo que aparece ali em cena é alguém famosão no mundo futebolístico: o olheiro que o repara em seu primeiro jogo é Arsène Wenger, treinador do Arsenal; o atleta que dá uns dribles nele e o humilha é Cristiano Ronaldo; o zagueirão truculento, que dá uns tapas em seu rosto, é o zagueirão Marco Materazzi ­­ - aquele mesmo, da cabeçada do Zidane.

Enfim, a publicidade é do caramba, isso não é post pago e foi meu irmão quem deu a dica.



Nenhum comentário: