17 de jul de 2007

1, 2, 3... Fight!

Nas Olimpíadas de Inverno do ano passado, o kurling reinou absoluto entre o esporte mais bizarro a ser praticado na competição. Aquela espécie de bocha do primeiro mundo, em que atletas literalmente precisam enxugar gelo com uma vassoura para fazer uma chaleira de cerâmica ganhar mais velocidade foi hors-concours.

No Pan 2007, o hóquei na grama é forte candidato. É estranho ver um monte de esportistas com uma bengala na mão e se curvando pra caramba apenas para acertar uma bola. Se eu fosse fisioterapeuta, abria uma clínica ao lado de um campo de hóquei na grama. O que esses atletas devem ter lordose e bico de papagaio não deve ser brincadeira.

Mas engraçado mesmo é ver os caras de taekwondo em ação. Sensacional, parecem dois lutadores saídos do Mortal Kombat. Pode reparar, é banana: todo lutador fica meio que posicionado de lado, dando uns saltinhos engraçados sem sair do lugar. Não é tipo boxe, em que o atleta fica gingando de um lado pro outro do ringue, ou judô, em que um se engalfinha no outro e fica um empurra-empurra infernal. Pô, taekwondo é bem mais divertido.

O uniforme também é ótimo: o protetor usado na cabeça é igualzinho ao capacete anti-convulsão usado pela Natalie Portman no filme Hora de Voltar. Já para proteger o tórax, utiliza-se um tipo de colete salva-vidas.

A arte marcial coreana funciona assim: são três rounds de três minutos e ganha o oponente que mais der bordoada no outro. Chute na cabeça vale dois pontos, já no peito e no abdômen, um só. Pode-se usar as mãos também, mas apenas no tronco. Pelo o que eu entendi é difícil pontuar dando socos – os juízes são cri-cri, e costumam validar apenas golpes dados com muita força, por isso a opção pelos chutes.

Daí você pensa: “Pô, o pau deve comer solto!”. Não, ao contrário. Os lutadores ficam pulando sem sair do lugar o tempo todo, como uma forma de analisar os movimentos do adversário. Aí, quando um resolve golpear, o outro se esquiva e acerta um belo pontapé no “estrombo” do sujeito. Não tem erro: negócio é ficar pulandinho no seu lugar e esperar o oponente tomar um decisão. Daí, no contra-ataque, você dá um round house kick e fatura um mísero ponto.

Taekwondo é típica briga de irmão versus irmão. Quando eu lutava com o meu, só valia chutar na perna e esmurrar o braço. A gente ficava lá, pulando sem parar até o outro tomar uma decisão. E, quando alguém ia pra cima, logo levava de revide um chute na canela que doía horrores (para os dois).

E era coisa de macho mesmo, apesar que a luta consistia apenas em dar um chute e logo depois fugir para o banheiro e trancar a porta. Talvez isso não aconteceria se gente usasse um desses capacetes anti-convulsão.

Ia ser bem massa.

Um comentário:

filippe2k disse...

eu tambem fugia pro banheiro aheuahea eu caçava meu irmao até lá hahahaha