20 de jun de 2006

Bonzinho só se fode

Por diversas vezes eu falei aqui das dificuldades em se arranjar um emprego. Depois que esse martírio acabou para mim no final do ano passado, sempre que posso mexo meus pauzinhos para ajudar aos próximos.

É o amigo que vira fotógrafo de minhas matérias, a namorada que eu indico para uma vaga na mesma empresa, o colega de sala que passa a fazer meus antigos trabalhos de freelancer... Tenho um coração de mãe.

Na semana passada, enquanto abria a caixa de emails aqui do serviço, noto um email endereçado à minha pessoa com o seguinte título: "Bom dia!'. Abro a mensagem e leio com calma:

Prezado(a) Colega,

Remeto meu currículo a fim de participar de um possível

processo seletivo que esteja acontecendo

Renato D. era o nome de meu colega. 26 anos, jornalista formado, casado e pai de um filho. Diz ter trabalhado em vários lugares, e observo que ele não passou nem um ano em cada empresa citada. Inglês intermediário e noções de informática.

Eu, solteiro, morando com a avó e sem filhos já me sentia um merda à procura de trampo, fiquei comovido com a história do sujeito. Coitado, ele tem um filho e é casado, pensei. Respondi ao cara, todo simpático:

Renato, você mandou o currículo para um estagiário. Infelizmente eu não posso fazer nada...

Mas façamos assim: manda pra mim um currículo mais elaborado, mais completinho, no Word. Fale onde você mora, onde fez faculdade, pretensões na carreira, áreas onde gostaria de atuar...

Daí eu deixo ele com o pessoal do RH.

Que tal? Sei como é duro estar atrás de emprego.

Abraço!

Gustavo Miller.

Como sou bacana, não? Pena que o tal do Renato não achou o mesmo. Quatro horas depois ele me responde.

Obrigado pela sua vontade,

amigo estagiário. Deve mesmo

ser "duro ficar sem trabalhar",

no entanto, este não é o meu caso.

E quando ao "Currículo Mais Elaborado"

é realmente necessário a profissionais

em início de carreira. No meu caso,

basta escrever "Editora Abril" ou

"Jornal Diário de Notícias" por exemplo,

que as empresas falam por si.

Ah, vai para aquele lugar!

Nenhum comentário: